Poder regenerativo do alongamento

Ele é tão importante quanto o exercício
Por Redação

Para receber diariamente um cardápio balanceado e iniciar sua reeducação alimentar, assine o Bem Leve e tenha dicas nutricionais online à sua disposição.

Por Isabelle Lindote
isabelle@bemleve.com.br

Chegar em cima da hora para alguma aula de ginástica e sair correndo da academia para o trabalho. Essa é a rotina de muitos malhadores que encaixam os exercícios físicos na agenda apertada. Quase sempre, na hora de pular alguma atividade, quem sai perdendo é o alongamento. Só que esticar o corpo antes e depois de malhar é tão importante como correr por meia hora ou fazer musculação. Os efeitos de um bom alongamento são surpreendentes e fazem a diferença.

“Quando nos alongamos, há o aumento da flexibilidade muscular. Desse modo, é possível ampliar os movimentos nas articulações”, afirma o professor de educação física Thiago Guimarães. “Além disso, ele queima calorias e é um descanso ativo. Depois de um alongamento, o corpo se regenera e fica mais relaxado”.

Não importa se você é esportista de carteirinha ou se faz exercícios de vez em quando: todos devem fazer alongamento. Com o passar do tempo, ocorre a diminuição da flexibilidade e o encurtamento das fibras musculares. Esticar o corpo ameniza a incidência de dores, tensões e lesões, pois os músculos passam a suportar melhor o esforço.

E não é só o corpo que ganha. Estresse e irritação podem ser combatidos com a atividade. “A pressão do dia-a-dia conturbado se reflete no organismo. Para aliviar, não há nada melhor que um alongamento bem feito ou uma massagem”, explica Thiago. Pense duas vezes antes de “pular” a hora do alongamento. Alongue seus músculos e amplie sua qualidade de vida.

ARTIGO RELACIONADO:


FADIGA CRÔNICA


Confira que alimentos ajudam a combater o cansaço

Quer perder peso? Faça um dieta GRÁTIS ideal para você!