Inhame: aliado contra a dengue

Alimento tem função terapêutica
Por Redação

Para receber diariamente um cardápio balanceado e iniciar sua reeducação alimentar, assine o Bem Leve e tenha dicas nutricionais online à sua disposição.

Por Luana Stoduto
luana@bemleve.com.br

A dengue, doença velha conhecida dos brasileiros, mais uma vez chegou com força total ao verão 2008. Os cariocas são os mais afetados – até meados de abril foram detectados mais de 50 mil casos da doença e 85 mortes – mas as notícias de novos surtos em outros estados deixam a população de sobreaviso. Em meio à confusão de informações a respeito dos cuidados para prevenir o problema, ao menos um tem fundamento: o uso do inhame.

Não há nada comprovado, mas pesquisas revelam que comer inhame duas ou três vezes por semana pode precaver contra a dengue. Mesmo para quem já está com a doença, o alimento costuma acelerar muito a recuperação. Também é importante consumir inhame após a dengue, a fim de eliminar os resíduos do sangue que tornam mais dramática a recaída.

O inhame é um dos alimentos medicinais mais eficientes que se conhece: faz muitas impurezas do sangue saírem através da pele, dos rins e dos intestinos. Outro benefício do inhame é o fortalecimento do sistema imunológico. Ele tem uma quantidade boa de vitamina A, importante para o sistema imunológico e para a integridade das mucosas.

Tratamento e alimentação
Não há tratamento especifico para a dengue. As medidas se baseiam na manutenção do estado geral e conforto do paciente. Não devem ser usados medicamentos que possam interferir com a coagulação sangüínea. Siga sempre as orientações médicas. É necessário manter uma alimentação saudável durante e depois do tratamento, já que uma pessoa bem nutrida possui sistema imunológico mais fortalecido. Assim, por mais que se infecte com o vírus, possivelmente não desenvolverá os sintomas de forma tão avassaladora, porque seu combate será mais ativo.

O doente deve consumir arroz, feijão, frutas, hortaliças e tentar comer o máximo que conseguir. Como a pessoa com dengue fica sem vontade de se alimentar, deve-se maximizar cada refeição, fazendo com que as porções ingeridas sejam ricas em nutrientes. Além disso, é importante manter uma boa hidratação durante todo tratamento.

Tipos e sintomas
A dengue é uma doença infecciosa febril aguda causada por um vírus da família Flaviridae e é transmitida através do mosquito Aedes aegypti, também infectado pelo vírus. Atualmente, a dengue é considerada um dos principais problemas de saúde pública de todo o mundo. A dengue pode se apresentar de quatro formas diferentes formas:

• Infecção Inaparente: a pessoa está infectada pelo vírus, mas não apresenta nenhum sintoma. Acredita-se que de cada dez pessoas infectadas apenas uma ou duas ficam doentes.

• Dengue Clássica: forma mais leve da doença e semelhante à gripe e dura de cinco a sete dias. A pessoa infectada tem febre alta, dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjôos, vômitos, manchas vermelhas na pele e dor abdominal (principalmente em crianças), entre outros sintomas.

• Dengue Hemorrágica: forma grave que se caracteriza por alterações da coagulação sanguínea da pessoa infectada. Inicialmente se assemelha a Dengue Clássica, mas, após o terceiro ou quarto dia de evolução da doença surgem hemorragias em virtude do sangramento de pequenos vasos na pelo e nos órgãos internos. Na Dengue Hemorrágica, assim que os sintomas de febre acabam a pressão arterial do doente cai, o que pode gerar tontura, queda e choque. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte.

• Síndrome de Choque da Dengue: esta é a mais séria apresentação da dengue e se caracteriza por uma grande queda ou ausência de pressão arterial. A pessoa acometida pela doença apresenta um pulso quase imperceptível, inquietação, palidez e perda de consciência. Se a doença não for tratada com rapidez, pode levar à morte.

ARTIGO RELACIONADO:


SURTO DE DENGUE


Prevenção contra os novos tipos da doença

Quer perder peso? Faça um dieta GRÁTIS ideal para você!